#inhotim #nofilter #feriado#Inhotim #YayoiKusamaÉpoca de Helicônias Rostratas! Viva o feriado! #heliconia #heliconiarostrata #nofilter #feriadoRetrato de Richard Avedon mostra o maior bailarino de todos os tempos, o maior mito, o maior... 😉
O restante da imagem do grande Nureyev, está no link: www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-rudolf-nureyev-por-arthur-mendes-rocha/Orquídea #brassia primeira florada comigo! #orquídea #brassiaverrucosaImagem de Brassaï (1899-1984) Margot Fonteyn vestida em seu tutu, se olha no espelho de seu camarim, 1949
Mais no site: www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-margot-fonteyn-por-arthur-mendes-rocha/Época de #orquídea #Zygopetalum"...grandes bailarinos não são grandes por causa de sua técnica, eles são grandes por causa de sua paixão." Martha Graham hoje no site: www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-martha-graham-por-arthur-mendes-rocha/Boa segunda! Boa semana! #Íris #brinco-de-princesa #nofilter"You were wild once.
Don't let them tame you."
Isadora Duncan hoje no site:
www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-isadora-duncan-por-arthur-mendes-rocha/

                
       





















bloglovin



CURRENT MOON

Archive for outubro, 2011

Mixtape#3 by DJ Japa Girl: Happy Bloody Halloween

Mixtape #3 – Happy Halloween by DJ Japa Girl

1. Bela Lugosi – Dracula

2. Theme from Interview with the Vampire

3.The Black Angel’s Death Song - The Velvet Underground

4. Seven Deadly Sins – Gene Loves Gezebel

5. Creep – Revolting Cocks

6. Lack of Sense – Tribantura

7. Murderous – Nitzer Ebb

8. Testament – UK Decay

9. This is Halloween – Nightmare Before Christmas

10. Death at the Chapel – The Horrors

11. Bad to the Bone – ZZ Top

12. I Shot The Devil – Suicidal Tendencies

13. Sunday Morning Nightmare – Sham 69

14. The Ghost – I Lov You But I’ve Chosen Darkness

15. Matador – X-Mal Deustchland

16. The Addams Family theme – Vic Mizzy

   Comentário RSS   
 

OS ANJOS CAÍDOS DE PARIS POR IKO OURO PRETO

Quem é atraído até o cemitéro parisiense do Père-Lachaise durante as tarde de outono tem a sombria sensação ter chegado atrasado para um grande acontecimento. As esculturas de anjos caídos, senhores deitados, damas clássicas e mártires parecem cochicar entre os muitos jazigos que ostentam datas do século retrasado. Durante um passeio entre uma sepultura e outra, Japa trocava de roupa e posava para as lentes de seu grande amigo Iko Ouro Preto, que captaram muito além das obras de arte corroídas pelo tempo.

Aqui, as excentricidades de Oscar Wilde não incomodam mais a elite, a voz de Piaf não é mais audível, os costumes não provocam críticas de Molière e, por um sarcasmo do acaso, em vez de prostitutas, Victor Hugo agora descansa bem perto da rainha Carolina Bonaparte. Talvez a última e constante piada para Comte, Camus e tantas outras personalidades que compõem um dos poucos cemitérios onde os visitantes geralmente circulam sorridentes.

Em poucas horas, a luz acinzentada, os musgos encrostados em túmulos anônimos, as folhas secas nas alamedas de paralelepípedo e o silêncio absoluto  se misturam, transformando o lugar num cenário que mais parece pastel em tela. O Père Lachaise traz uma tranquilidade muito mais profunda do que os parques franceses: ele aproxima nomes de artistas, filósofos e escritores a indigentes num ambiente neoclássico de Brongniart; o peso da história trazido à luz pelo padre Lachaise, confessor do rei Luís XIV, em maio de 1804.
Japa veste:

Legging acetinado – Gloria Coelho

Capa morcego de couro – Neon

Sapato – Pedro Lourenço
Japa veste:

Vestido couro – Pedro Lourenço
Legging cetim – Gloria Coelho
Sapato – Gloria Coelho

Japa veste:

Camisa – Gloria Coelho

Saia – Superonic


Japa veste:

Blusa renda – Gloria Coelho

Pulseira cobra – Kenneth Lane
Japa veste:

Casaco veludo e couro - Pedro Lourenço

Máscara – Reinaldo Lourenço

Japa veste:
Camisa de seda – D’Arouche

Japa veste:

Saia de couro – Pedro Lourenço

Blusa – Forum

   Comentário RSS   
 

TODAY’S SOUND: THE SCREAM AWARDS POR ARTHUR MENDES ROCHA

Hoje, dia de Halloween, falaremos de uma premiação que privilegia os filmes de terror e fantasia: O Scream Awards.



O Scream Awards é um prêmio dado pelo canal americano Spike para os melhores filmes e séries de terror, fantasia, super-heróis, ficção científica e quadrinhos; é como se fosse uma entrega do Oscar para este tipo de filme, só que com muito mais diversão. Ele teve sua primeira edição em 2006 premiando produções como ‘True Blood”, “Crepúsculo”, “Arraste-me para o inferno”, entre outras.

Este ano, a cerimônia foi toda feita em um cenário que lembrava aqueles circos antigos, uma coisa meio “carnival”, um parque de diversões com carrossel, gente em gaiola e com uma gigantesca cara de palhaço cuspindo fogo, além de um público vai super montado, com as mais diferentes fantasias no estilo Halloween.





Este ano a fantasia mais vista foi a de Cisne Negro como do filme, já que este concorria a vários prêmios. Inclusive havia um laguinho no cenário com um pedalinho em formato de cisne negro (o diretor Darren Aronofsky de Cisne Negro chegou num deles para receber o prêmio de melhor diretor).



Outra detalhe interessante é que não tem aquela falação das outras premiações, tudo é muito dinâmico, com a participação total do público que grita a todo instante. Por exemplo, tem um prêmio para a melhor cena de mutilação, para o vilão mais marcante, para o herói do ano, além de apresentarem os trailers das grandes estréias que estão por vir, uma espécie de pré-estréia mundial destes trailers. Abaixo uma cena da premiação da melhor cena de mutilação do ano passado:


Este ano, o vilão premiado foi Darth Vader, que veio vestido a caráter e acompanhado pelo seu criador George Lucas:


Outro prêmio bem bolado é o de visionário, que este ano foi dado para Pee Wee Herman, o personagem criado pelo ator Paul Reubens que já estrelou em filmes (sendo um deles o primeiro filme dirigido por Tim Burton) e já teve um programa infantil de sucesso na TV americana.

Teve até um prêmio para o filme mais antecipado, que é o caso de “The Dark Knight rises”, o novo é último capítulo da trilogia dirigida por Christopher Nolan que só deve estrear ano que vem e que foi aceito por três astros do elenco: Anne Hathaway (a Mulher-gato), Gary Oldman e Joseph Gordon-Levitt.


O Scream Awards vem crescendo a cada ano, tanto na sua produção como na sua importância na indústria, já que este ano teve participação maciça de importantes astros do cinema e TV. A premiação acaba sendo uma vitrine para as produções do estilo, que geralmente são ignoradas pela Academia, mas que são bastante populares e merecem o seu reconhecimento dentro da cultura pop.

Aqui no Brasil, a premiação foi transmitida ontem pela TNT, teria sido ainda melhor transmitir hoje em homenagem ao Halloween.
   Comentário RSS   
 

TODAY’S SOUND: BATCAVE POR ARTHUR MENDES ROCHA

Para fecharmos a semana, hoje falaremos do club gótico por excelência: The Batcave.



O Batcave era um club londrino que abriu suas portas em 1982 no Soho e que tornou-se o lugar favorito dos góticos da época. O club tocava no início glam rock e new wave, mas logo começou a tocar rock gótico, com sonoridades mais obscuras e apostando nos nomes da cena.

O Batcave foi idealizado por Ollie Wisdom, o vocalista da banda Specimen, que se apresentava com regularidade no clube. No vídeo abaixo podemos ver membros do Specimen falando do club bem como alguns dos freqüentadores:


No auge de sua popularidade, podia-se avistar no club frequentadores como Robert Smith, Bauhaus, Marc Almond, Siouxsie Sioux, Nick Cave, entre outros.

O Batcave foi tão importante na época que gerou várias noites similares, além do nome ser usado pelos próprios organizadores para levarem a noite a outros lugares na Inglaterra. O club atraiu a atenção da mídia, tornando a subcultura gótica mais popular e influente na moda, chegando até a ser capa da influente revista inglesa “The Face”. Abaixo podemos ver uma matéria feita pela TV dinamarquesa sobre o club:


O club acabou tornando-se o spot favorito dos góticos, pois se podia ouvir desde Siouxsie, Cramps, Bauhaus, passando por Alien Sex Fiend, Sex Gang Children, Southern Cult e outros.

O Batcave acabou tendo diferentes locações em Londres, mas em uma delas chegou a ter um pequeno teatro na parte superior que rolava desde pequenos shows até projeção de filmes antigos de terror góticos.



O club ficou mais famoso por dar uma cara mais real ao movimento gótico, foi uma espécie de reação ao movimento New Romantic que estava ficando muito popular na época, já que no Batcave os góticos podiam se expressar de maneira mais livre, vestindo-se a sua maneira sem serem importunados e vistos como “freaks”.

Em 2008, houve uma celebração aos 25 anos do Batcave com uma apresentação do Specimen no club Antchrist em Londres, como vemos no vídeo abaixo:


Em 2009, o Fashion Institute of Technology de NY realizou a exposição “Gothic Dark Glamour” e convidou Johnny Slut e Jon Klein, ambos do Specimen, para falarem sobre a influência do Batcave na moda gótica, mostrando inclusive figurinos da banda, como mostra o vídeo abaixo:

   Comentário RSS   
 

TODAY’S SOUND: CHRISTIAN DEATH POR ARTHUR MENDES ROCHA

O post de hoje é sobre uma banda cultuada de death rock e que influenciou toda uma geração de bandas góticas: Christian Death.


O Christian Death surgiu em 1979, em Los Angeles, formada pelo vocalista Rozz Williams. A banda começou a chamar atenção com seu punk rock mais dark, lançando em 1982, o álbum ‘Only Theatre of pain”.

Em 1983, Rozz junta-se a uma nova banda Pompei 99 liderada pelo guitarrista Valor, mas convencidos pela gravadora, eles acabam formando uma nova versão do Christian Death e assim a banda faz a sua primeira turnê.


Os temas da banda falam de apocalipse e de um futuro negro, fazem críticas ao cristianismo, falam de guerras, suas apresentações são intensas, os vocais de Rozz são perturbados, sua atitude  e sua performance no palco conquista os fãs como em ‘Romeo’s Distress”.


e “Deathwish”.


Depois de bons álbuns como “Catastrophe Ballet’e “Ashes’, Rozz sai da banda em 1985 antes de uma turnê pela Europa, mas continua a apresentar-se muitas vezes utilizando o nome da banda.

A banda sempre foi problemática em suas formações, contando com mais de 30 músicos que entraram e saíram. Além disso, as disputas entre Rozz e Valor duraram anos, formando novas bandas que se aproveitavam da fama conquistada pelo Christian Death.

Em 1991, Valor grava um novo álbum com o nome Christian Death e a ele junta-se sua segunda esposa Maitri. Esta nova versão da banda combina uma pegada de heavy metal mais dark com o rock gótico como “Church of no return”.


Em 1998, Rozz comete suicídio, desconfia-se que tenha sido causado por heroína, mas nunca foi provado e ele não deixou nenhum bilhete. A sua influência é notada em artistas como Marilyn Manson.


Nos anos seguintes, a banda continuaria a gravar novos álbuns e realizar turnês, sendo que o último trabalho deles foi lançado em 2007, o álbum ‘American Inquisition”.

Os temas polêmicos da banda foram influência direta em bandas como Nine Inch Nails, Korn, Type O Negative e muitas bandas góticas.
   Comentário RSS   
 

TODAY’S SOUND: THE DAMNED POR ARTHUR MENDES ROCHA

Hoje o post é dedicado a uma banda que foi um dos grandes expoentes do punk e também  do rock gótico: The Damned.

The Damned foi uma das pioneiras bandas punks inglesas, surgida em 1976, misturando garage rock com psicodelia e apresentações ao vivo performáticas e teatrais. Seu nome foi originado do filme “The Damned’ de Luchino Visconti e os filmes de terror e clássicos góticos são referência fundamental na banda.

Eles foram uma das primeiras bandas punk a lançarem um single (“New Rose”) e um álbum (“Damned,Damned,Damned”) em 1976 e 1977 respectivamente.


A banda é considerada uma das primeiras do rock gótico, já que o vocalista Dave Vanian tinha toda a atitude em suas apresentações completadas com sua voz meio assustadora e seu visual cadavérico, lembrando Drácula, como nesta apresentação para a TV alemã interpretando a música “Love Song”:


Na década de 80, o Damned começa cada vez a flertar mais com o estilo gótico, chegando a assinar com uma grande gravadora, mesmo depois da saída de um importante membro, Captain Sensible. Assim, em 1985, a banda lança “Phantasmagoria’ com capa e forte conteúdo gótico, o que traz sucesso comercial para a banda e gerando hits como ‘Shadow of love’:




Um de seus maiores hits na época também foi a música “Eloise”, como vemos nesta apresentação abaixo:


No álbum seguinte, “Anything’ , de 1986, a banda continua sua influência gótica (como mostra o clipe abaixo), mas novas divergências fazem a banda acabar em 1987.


De 1987 até década de 90, o Damned volta fazendo shows esporádicos até lançarem o disco “Not of this earth” em 1995 com Vanian e Rat Scabies da formação original. No ano seguinte Scabies sai novamente e Vanian reformula a banda com a volta de Captain Sensible e mais a ex-sisters of Mercy Patricia Morrison, que viria a se tornar a esposa de Vanian.


A banda continua na ativa, seu último disco foi lançado em 2008, mas continuam fazendo turnês pelo mundo.
   Comentário RSS