Bom domingo!!! #inhotim #caleidoscópio #OlafurEliasson#inhotim #nofilter #feriado#Inhotim #YayoiKusamaÉpoca de Helicônias Rostratas! Viva o feriado! #heliconia #heliconiarostrata #nofilter #feriadoRetrato de Richard Avedon mostra o maior bailarino de todos os tempos, o maior mito, o maior... 😉
O restante da imagem do grande Nureyev, está no link: www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-rudolf-nureyev-por-arthur-mendes-rocha/Orquídea #brassia primeira florada comigo! #orquídea #brassiaverrucosaImagem de Brassaï (1899-1984) Margot Fonteyn vestida em seu tutu, se olha no espelho de seu camarim, 1949
Mais no site: www.japagirl.com.br/blog/sports-i-love/todays-sound-margot-fonteyn-por-arthur-mendes-rocha/Época de #orquídea #Zygopetalum

                
       





















bloglovin



CURRENT MOON

Archive for dezembro, 2011

Today’s Sound: The Star Wars Holiday Special por Arthur Mendes Rocha

No final do ano de 1978, um ano após a estréia nos cinemas, a TV americana exibiu o especial de Natal de Guerra nas Estrelas: “The Star Wars Holiday Special”.

Este é considerado um dos especiais mais cult da TV americana, pois reunia o elenco original do filme: Mark Hammil (Luke Skywalker), Carrie Fisher (Princesa Leia) e Harrison Ford (Han Solo), além dos robôs C3PO e R2D2, mais Chewbacca e até Darth Vader, com seu dublador original, o ator James Earl Jones.

A história girava em torno de Chewbacca, que iria visitar sua família no Natal no planeta de Kashyyyk. Sim, ele tem uma família, sua mulher (Wala), seu pai (Itchy) e seu filho (Lumpy). Estes personagens não existiam no filme e foram criados especialmente para o programa:

A família dele, os Wookies, é ameaçada s pelas forças do Império, depois que Chewbacca e Han Solo desaparecem em uma missão. Daí então Luke, Leia, C3PO e R2D2 tentam descobrir o que aconteceu e resgatá-los.

No especial também participavam alguns atores conhecidos da TV americana como Beatrice Arthur (da série “Golden girls”), Art Carney (de “The Honeymooners”) e Harvey Korman (que trabalhava com a trupe de Mel Brooks), além da cantora Diahann Carol e do grupo Jefferson Starship, que cantavam no meio do programa.

Do especial ainda participam os stormtroopers (os soldados do Império) e também contém a primeira aparição de Boba Fett, que aparece em um desenho animado em um momento do programa.

Até mesmo a cantina aparece no especial com várias criaturas conhecidas e a atriz Beatrice Arthur como a dona da cantina, cantando com os monstros

O especial foi exibido em 17 de novembro de 1978, logo após o primeiro filme da série e antes de “O Império contra-ataca”.

Apesar de George Lucas não ficar feliz com o resultado, considerando-o infantil demais, ele incluiu este especial na edição especial do filme em Blu-Ray. Mesmo assim, um pouco cafona ou não, este holiday special tem uma importância dentro do universo de Star Wars, pois onde mais se poderia ver a Princesa Leia cantando?

   Comentário RSS   
 

Espírito Selvagem, um editorial de moda para Rolling Stone mag.

Fotos: Pedro Molinos Styling: Japa Girl Produção Executiva: Ana Reis

A modelo Erijane Lima veste: Cinta-liga e meia 7/8 - Tri-fil, Short cobra - Lucy in the Sky, Regata - Rock N’ Cycles, Xale de franjas - Acervo Japa Girl,   Chaveiro de couro - Hot V2

Paulo Mendes veste: Jeans - Levi’s, Bota - Red Wing

Ara Vartanian veste: Calça - Dickie’s, CamisetaJoe King, Colete - Eat Dust, Óculos - Ray Ban

Erijane veste: Macacão tigrado – Acervo Japa Girl, Bota – Marcelo Quadros Boina de tachas – King 55 Anel – Ara Vartanian

Paulo Mendes veste: Camiseta –  4Q Jeans – Levi’s Capacetes – Joe King Gorro – Cycle Zombies Óculos – Ray Ban

Erijane veste: Camisa xadrez – Shop 126, Colete jeans – King 55, Cinta-liga e meia 7/8 – Tri-Fil, Bolsa – Prada, Coturno biker - Miu-Miu, Short de couro - 284, Joias – Ara Vartanian

Ara Vartanian veste: Boné – Joe King, Calça – Dickie’s, Camiseta – 4Q, Colete  - Eat Dust

Erijane veste: Jaqueta de couro  - Hot V2 Short - Cavalera Cinta-liga – Tri-fil



   Comentário RSS   
 

Today’s Sound: PUNK XMAS SONGS por Arthur Mendes Rocha

Hoje falaremos sobre um Natal menos convencional, sobre algumas canções de Natal punks, com Ramones, Billy Idol, The Ravers, The Dickies e Garotos Podres.

Os Ramones lançaram em seu álbum “Brain Drain” de 1989 a música “Merry Xmas (I don’t want to fight tonight)”. À primeira vista, poderia parecer uma canção de rock n’ roll dos anos 50, se não fosse a inconfundível voz de Joey Ramone que dedicou a canção à uma de suas namoradas. Vejam o vídeo onde até rola uma historinha de um casal partindo para a porrada em plena noite de Natal:

Billy Idol também andou atacando com canções de Natal em um álbum dedicado somente a este tipo de canções natalinas: “Happy Holidays (A Very Special Christmas Album)” de 2006. No disco ele interpreta alguns clássicos e o destaque fica por conta de “Jingle Bell Rock”, mas mesmo assim o ex-integrante do Generation X está comportado se comparado com seu passado punk:

Em 1995 a Rhino lançou a coletânea “Punk Rock Xmas” com várias músicas punks natalinas entre elas “(It’s gonna be a) Punk Rock Christmas”, interpretada pelo grupo The Ravers, mas todos confundiam que eram os Sex Pistols. A canção havia sido lançada originalmente em 1977 e do grupo fazia parte Lou Maxfield, que já gravou com Joan Jett e Ray Manzarek, entre outros:

Também na coletânea estava “Silent Night’ dos Dickies, versão punk para a tradicional “Noite Feliz”, cujo single saiu em vinil branco e preto quando editado na Inglaterra:

No Brasil, os Garotos Podres lançaram em 1986 a música “Papai Noel Velho Batuta’ (a original era “Papai Noel Filho da Puta”), mudando o refrão para burlar a censura da época, com uma letra que atacava o Natal não ser justo com os pobres, é um dos melhores registros do punk natalino nacional:

   Comentário RSS   
 

Today’s Sound: Absolutely Fabulous por Arthur Mendes Rocha

Este Natal marca a volta de uma das séries inglesas mais engraçadas de todos os tempos: Absolutely Fabulous.

“Absolutely Fabulous” ou simplesmente AbFab é uma série inglesa criada por Jennifer Saunders, Dawn French e Ruby Wax para a BBC1 nos anos 90 que falava de moda, jogação, cultura pop e de tudo que era notícia no mundo das celebridades.

A história gira em torno de Edina Monsoon (Jennifer Saunders) uma relações públicas (P.R.) que tem dinheiro e uma filha careta, Saffy (Julia Sawalla) e suas aventuras com sua melhor amiga Patsy Stone (Joanna Lumley).

Edina tenta de todas as maneiras “acontecer” no mundo da moda e dos eventos sociais, mas sempre acaba dando algum fora, bebendo demais, botando tudo a perder. Sua companheira inseparável, Patsy , é editora de moda, mas dá sempre o truque para não trabalhar e ficar passeando com Edina e se metendo em confusões.

A série é hilária, uma das melhores coisas da TV britânica, além de ser mega cultuada. Pois para comemorar os vinte anos da série, Jennifer Saunders reuniu o elenco original e vão fazer três episódios especiais, sendo que o primeiro estréia agora no Natal londrino.

AbFab chegou a ser exibido no Brasil nos anos 90 pelo saudoso Eurochannel, que também exibia o seriado “French & Saunders” que deu origem ao AbFab e do qual participava também Jennifer Saunders. Nos anos 2000, AbFab chegou a ser exibido pelo Multishow.

A volta de AbFab já está gerando o maior rebuliço entre seus admiradores (eu incluído), pois é sinal de diversão garantida, pois elas debocham de tudo e de todos, sem a menor preocupação com o “politicamente correto”.

A série já teve várias participações especiais ao longo dos anos, desde Elton John, passando por Naomi Campbell, Helena Bonham Carter, Marianne Faithful, Kristin Scott Thomas e muitas outras.

AbFab debocha da sociedade consumista, do mundo das celebridades, já que Edina tem uma agência de relações públicas das quais as únicas clientes são celebridades meio decadentes como as cantoras Lulu (famosa pelo único hit “To sir with Love”) e Emma Bunton (ex-Spice Girls) e na qual ela é ajudada por sua secretária lesada Bubble (Jane Horrocks).

Os novos episódios prometem, já que assunto é o que não falta para elas criticarem, desde as inovações tecnológicas até os novos estilistas como Stella McCartney (que faz participação especial) e as novas celebridades como as Kardashians, como no clipe abaixo:

Edina e Patsy são únicas, debochadas, maravilhosas, adoram comprar, estarem bem vestidas com roupas de designers famosos, andarem pelas ruas chiques de Londres, reviverem os anos 60 (afinal elas viveram na swinging London), beberem champanhe e falar muito mal da vida alheia. Elas já foram até tema de música do Pet Shop Boys:

Uma das inspirações do seriado foi a P.R. Lynne Franks, famosa nos anos 80 por organizar grandes eventos como o Live Aid e a London Fashion Week, o personagem de Edina é totalmente baseado nela.

Com a volta de AbFab, Jennifer se animou e talvez faça um filme da série em breve, vamos torcer para que seja logo.

   Comentário RSS   
 

Today’s Sound: Madonna’s W.E. por Arthur Mendes Rocha

Madonna deve lançar no ano que vem, no resto do mundo e em circuito comercial, seu mais novo filme: “W.E.”, siglas dos nomes de Wallis Simpson e Edward VIII , mais conhecidos como o Duquesa e o Duque de Windsor.

Sua história de amor já foi tema de inúmeros livros, reportagens, mas ainda faltava um filme que fosse mais a fundo na história dos dois. No filme vencedor do Oscar do ano passado, “O Discurso do Rei”, os dois chegavam a aparecer rapidamente, já que o duque abdica do reino e seu irmão (personagem principal) é quem assume o trono.

Edward tinha tudo na mão, um reino que seria seu, mas ele troca tudo para viver um grande amor ao apaixonar-se perdidamente por Wallis Simpson, uma americana divorciada.  Ele tentou uma aliança com a igreja anglicana, mas chegou-se a conclusão que ele deveria abdicar do trono se quisesse casar com Wallis e foi o que ele fez.

Madonna sempre foi atraída por esta história e escolheu Andrea Riseborough e James D’Arcy para viverem os personagens centrais, mais Abbie Cornish como a mulher que vive no presente e é totalmente fascinada por este romance. Ela (Abbie), infeliz no casamento, resolve viver uma paixão com um guarda de segurança russo.


O elenco é extremamente bem escolhido, Andrea é uma ótima atriz, fez recentemente um filme chamado “Brighton Rock”, que merece ser visto e foi daí que Madonna a descobriu para viver a sua Wallis Simpson.

Eu ainda não tive oportunidade de ver o filme, pois aqui ainda não estreou, mas tenho certeza que o filme não deve ser esta “bomba” que a crítica andou falando quando o filme estreou no Festival de Veneza deste ano.

Neste documentário promocional, recém liberado, vemos os bastidores de filmagem e o quanto Madonna e sua equipe arrasaram na reconstituição de época com uma brilhante direção de arte e figurinos absurdos de Arianne Phillips, a figurinista favorita de Madonna.

Arianne conta no documentário que fez uma extensa pesquisa de figurino, pois sabia da importância que os duques davam para estarem bem vestidos e sempre nas últimas tendências da moda na época, vestindo Christian Dior, Schiaparelli, Vionnet e pencas de jóias Cartier. Aliás tanto a joalheria como a Maison Dior chegaram a fazer peças especiais para o filme, afinal quem negaria algum favor à Madonna?

Outra entrevista mostra o diretor de fotografia Hagen Bogdanski falando de como Madonna escolhe cada plano com a determinação de uma diretora profissional. Ele já havia feito a fotografia de dois ótimos filmes: “A Vida dos outros” e “A Jovem Rainha Vitória”.

O documentário mostra várias cenas filmadas em locações na Inglaterra, NY, Paris, Cote D’Azur, entre outros. A produção foi muito bem cuidada, com uma equipe de primeira e que só por isso já merece toda nossa atenção. Além disso, a pesquisa do filme incluiu acesso às correspondências trocadas entre os dois.

O filme acaba de ser nominado para dois Globos de Ouro: melhor trilha e melhor música para “Masterpiece”, música interpretada por ela e composta especialmente para o filme.

Ela recentemente esteve no programa de Anderson Cooper na CNN comentando suas nominações:

Parece que 2012 será um ano em que Madonna voltará com tudo à mídia, com a estréia do filme nos cinemas, novo álbum, apresentação no Superbowl, ela voltará a dominar o mundo pop com toda a força.

   Comentário RSS   
 

Today’s Sound: MOMMIE DEAREST por Arthur Mendes Rocha

“Mommie Dearest” é um filme que virou cult por retratar a vida doméstica da atriz Joan Crawford, vivida nas telas por Faye Dunaway e os maus tratos que ela fazia com seus filhos.

“Mamãezinha querida” estreou em 1981 e era baseado no livro de memórias de Christina Crawford, que havia sido adotada pela atriz Joan Crawford, e que foi um bestseller quando lançado em 1978. Este ano o filme completou 30 anos.

Joan Crawford foi uma das maiores estrelas de Hollywood na época de ouro dos grandes estúdios, trabalhou com os maiores diretores e astros da época e era famosa por seu temperamento difícil e exigente.

‘Mommie Dearest” mostra uma faceta mais cruel da estrela, já que Christina havia sido adotada por Joan e esta não estava preparada para ser mãe, acabando por abusar de sua filha, maltratando-a e humilhando-a. Digamos que ela já fazia bullying antes do nome virar moda.

Numa das cenas mais famosas, Crawford (ou Dunaway) repreende a filha por utilizar cabides de arame ao invés de cabides normais e lhe dá uma tremenda surra por este motivo:

Claro que o filme fez sucesso, mas a crítica detonou, falando mal de roteiro, atuações, mas uma coisa é certa: Faye Dunaway está espetacular como Joan Crawford: exagerada, possuída, histérica, enfim, capaz de tudo para ver seus desejos triunfarem. A caracterização de Dunaway em Crawford é ótima, tanto na maquiagem quanto no figurino. Mesmo assim, a atriz não gosta de comentar muito sobre o filme, não ficando satisfeita com o resultado.

O filme mostra que Crawford era bi-polar, capaz de estar normal e de repente ter ataques de fúrias súbitos. Um dos motivos também seria o seu vício no álcool, ela trocava bastante de parceiros e no fundo se sentia solitária. Tudo isto a fazia descontar nos filhos:

O filme é o que se pode chamar de um “camp classic”, algo que não é considerado um filme bom, mas que é divertido, meio cafona e que tem uma legião fiel de seguidores que gosta de imitar as falas. Ele até recebeu o famoso prêmio Framboesa de Ouro, paródia ao Oscar que premia os piores filmes, vencendo como pior filme e pior atriz.

Algumas atrizes que conviveram com Joan na época confirmaram suas atitudes com os filhos, porém duas outras crianças adotadas por ela, as gêmeas Cindy e Cathy, negaram serem maltratadas por Crawford.

Quando Joan faleceu, ela acabou por cortar Christina do seu testamento, dizem que ficou sabendo que ela estava escrevendo o livro e resolveu castigá-la pela última vez.

Nunca saberemos ao certo se o filme é realmente baseado em fatos reais, mas ao assistirmos sentimos ódio por Joan, ela se mostra uma verdadeira megera, seus ataques são absurdos, é um misto de ciúme com a mais pura maldade, fazendo dela uma de nossas vilãs favoritas.

   Comentário RSS