Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
TODAY’S SOUND: COCTEAU TWINS POR ARTHUR MENDES ROCHA – Japa Girl












































































    Encontrei essa cachorra, com mais de 10 anos, castrada, com uma cirurgia ainda cicatrizando na região torácica, cheia de moscas e pulgas, na pracinha em frente ao colégio Santa Cruz, região de Pinheiros. Muito fraca, está pele e osso. Internei no @citvet por 24 hrs, está inteira, sem anemia, sem infecção, fígado e rins bons! Acredito que fugiu! Por favor me ajudem compartilhando, deve ter um dono procurando por ela. Por hora, colocamos o nome de Angelita. #cachorraperdida #procurasecachorroHoje!!!
#climatestrikeLunatic Magic Beware...🦇 Theophile-Alexandre Steinlen “Chat au Clair de Lune”, c 1900Greve Global pelo clima - São Paulo, 20.9.2019! É de suma importância que todos participem dessa greve global. Acontece que a Amazônia, o Pantanal e o Cerrado, continuam queimando, numa destruição avassaladora, apesar da pressão feita até agora. Além disso, incêndios se espalham por diversos cantos do mundo, como Sibéria, Indonésia e o continente africano. Não podemos relaxar, enquanto mudanças significativas sejam aplicadas de fato.Emocionante! Nunca vi passeata igual, com tanta gente. Acordamos. Graças à Deus e Deusa. Não podemos mais permitir que isso aconteça as Florestas e aos Animais. Fora demônio #forasalles #sosamazoniaPor favor assistam!Gigante pela própria natureza e pela própria ignorância 🇧🇷Precisamos ir para a rua protestar urgente!!! Profundamente abalada com a destruição de lugares sagrados, lugares que sustentam a Vida neste planeta! Todos vão sofrer as consequências desse desmatamento e queimadas! Árvores de 500 anos já eram! Estão encontrando animais queimados, jamais estudados ou conhecidos pelo homem! Estamos sentenciando nossa existência. #prayfortheamazonÉ com profundo pesar, estão cortando uma pequena floresta de no mínimo 70 anos, que cresceu numa casa desocupada. Ainda que haja autorização da PMSP e compensação em outro local, como fica o entorno? Quem irá compensar os morcegos e periquitos que moram nessas árvores?Unforgetable veggie lunch exxxperience!
Thank you so much @saporebrasil @pietroleemann @lideresempreendedores 
Risoto com aspargos verdes e abóbora, contraste de mousse de couve-flor defumada e arroz silvestre crocante.

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

TODAY’S SOUND: COCTEAU TWINS POR ARTHUR MENDES ROCHA

O Cocteau Twins é uma das bandas mais influentes surgidas no pós-punk inglês dos anos 80, seu som etéreo, com a suave voz de Liz Fraser, marcou toda uma geração que viveu sua música intensamente.

O Cocteau se originou em uma cidadezinha industrial, Grangemouth, na Escócia, quando dois amigos, Robin Guthrie e Will Heggie, frequentavam a disco Nash, na qual Robin era o DJ.

cocteau-twins-foto-1

Sua preferência na época era o punk e uma das frequentadoras da noite era também Elizabeth Fraser, que gostava do som que Robin colocava e era uma das poucas a dançar.

Tanto Robin quanto Will já haviam participado de outras bandas, mas eles propuseram a Liz, que no começo achou que não seguraria a onda de cantar em um grupo. A banda se chamava Cocteau Twins e o nome foi originado por uma canção obscura do Simple Minds.

Liz e Robin acabaram se envolvendo romanticamente e assim ela acabou voltando para a banda.

cocteau---liz-&-robin

Uma das paixões em comum deles era o Birthday Party (que Nick Cave fazia parte) e que gravava pelo selo 4AD.
Numa apresentação do Birthday, Robin fala com Phil Cavert (um dos integrantes) e este o sugere de escrever para a 4AD, se oferecendo. Robin acaba escrevendo e a gravadora o responde de volta solicitando mais fitas com músicas da banda.

cocteau-twins---foto-2

Era o começo de uma relação que durou quase toda a existência do Cocteau, eles acabaram se tornando a banda símbolo da gravadora 4AD, especialmente com sua incrível direção de arte, com capas lindas e enigmáticas, sempre com imagens diferentes de tudo que se via na época.

A direção de arte dos discos da 4AD era feito por uma firma de design, dentro da própria gravadora, chamada 23 Envelope.

cocteau-twins-capa-1

Para se ter uma idéia, o Cocteau nunca apareceu na capa de nenhum de seus discos.
O primeiro álbum, lançado em 1982, chamava-se “Garlands” e um dos destaques era a música título:

E também “Wax and Wane”, que tocava nas pistas:

Seu som era diferente de tudo que se fazia na música da época, lembro que ao ouvi-los pela primeira vez, senti que era algo especial, único, eles conseguiam ter um pouco de cada estilo da época, seja pós-punk, gótico, new wave ou new romantic.

Cada vez que um disco deles chegava nas lojas de importados, era uma verdadeira loucura, eram disputadíssimos já que não eram lançados por aqui.

CocteauTwins

O baixo de Will combinado com a guitarra minimalista e cheia de efeitos de Robin, mais as distorções, além do uso da Roland 808, e o vocal de Liz Fraser (aqui neste disco em língua compreensível) era um conjunto perfeito de texturas e sonoridades.

O disco foi um sucesso na parada independente, ficando no quinto lugar, além de ter ganhado o apoio de John Peel, o influente apresentador de um programa semanal da BBC Radio One (e das chamadas “Peel Sessions”) e uma das figuras mais emblemáticas da cena independente inglesa.

cocteau---foto-3

Mesmo assim, a banda manteve sempre um perfil mais quieto, evitando declarações à imprensa e badalações e criando toda uma mítica em torno deles.

Depois de lançarem mais dois EPs, a banda sofre uma importante perda: Will amigavelmente deixa o Cocteau (e mais tarde forma o Lowlife).

O próximo trabalho da agora dupla é o álbum “Head over heels” que tem entre suas faixas ”Musette and drums”, aqui numa apresentação na TV inglesa em 1983:

O álbum acaba sendo um desafio ao Cocteau, pois a ausência de Will fez com que a dupla improvisasse e experimentasse bastante, além de ter que viajar em turnê (abrindo para o O.M.D.), assim eles acabam não cumprindo todas as datas acertadas.

O vocal de Liz vai ficando cada vez mais apurado, influenciado por suas constantes audições de Edith Piaf e Billie Holiday, e as letras mais enigmáticas, muitas vezes em línguas incompreensíveis, o que acaba se tornando marca registrada do Cocteau.

cocteau---liz-fraser

Logo em seguida, a gravadora 4AD lança um projeto que junta diversas bandas da gravadora chamado This Mortal Coil, na qual se destaca a música “Song to the Siren”, cantada por Liz (acompanhada da guitarra de Robin) e que acaba tendo boa repercussão nas rádios:

Robin se questiona como as rádios tocam This Mortal e não tocam Cocteau…

No final de 1983, a banda volta a ser um trio com a entrada de Simon Raymonde, que já era um admirador da banda e também havia participado do Drowning Craze.

cocteau---foto-4

O primeiro trabalho de Simon no Cocteau é o single ‘Pearly Dewdrops Drops, que acaba sendo o bem mais sucedido comercial-mente da banda até então, chegando no 29º lugar da parada de singles:

A adição de Simon ao grupo se mostra bem frutífera, levando mais experiência de estúdio ao Cocteau e tornando sua sonoridade ainda mais atmosférica em músicas como “Lorelei” do álbum “Treasures”, lançado em 1984.

E também “Pandora”

CocteauTwins.Treasure

Depois de “Treasures”, o Cocteau ficou um período sem gravar, somente voltando com o single “Aikea-Guinea” em 1985:

Nos anos seguintes, eles lançam mais EPs, enquanto Simon realiza um novo trabalho com o This Mortal Coil e Liz e Robin com seus amigos Dif Juz e o Felt.

cocteau---liz-2

Simon continua ocupado com o This Mortal e acaba não participando do novo álbum do grupo que é o acústico “Victorialand”, um álbum elegante, delicado que acabou sendo confundido com new age, no ápice deste movimento.

Mas o Cocteau foi contra esta denominação e o álbum hoje é reconhecido como um importante trabalho dentro do movimento ambient/dub.

cocteau---victorialand

Logo em seguida, eles se unem ao compositor clássico Harold Budd e lançam o lindo álbum “The Moon and the Melodies”, muito bem recebido pela crítica.

cocteau---the-moon-&-the-me

Seu próximo trabalho é a música “Love’s easy tears”, incluída na compillação “Lonely is na eyeshore”:

Mais um hiato acontece com a banda e eles só voltam no final de 1986 com seu primeiro álbum por uma gravadora grande: “Blue Bell Knoll”, gravado em seu próprio estúdio. Entre os destaques está “Carolyn’s fingers” (aqui numa apresentação no programa de Jools Holland nos anos 90)

O álbum acaba sendo um novo caminho para o Cocteau, que chega ao 14º lugar da parada de sucessos.

Seu trabalho seguinte será o seu maior sucesso comercial: “Heaven or Las Vegas”, lançado em 1990, um trabalho bem mais tecnológico e que originou “Iceblink Luck”, entre outros sucessos:

Apesar de estar no pico de sua carreira, o Cocteau enfrentava problemas: seu contrato com a 4AD havia sido finalizado, a banda estava livre, mas Simon enfrentava dependência em álcool e drogas.

Um detalhe interessante nesta trajetória é que quando a banda fazia a turnê de Heaven or Las Vegas no Brasil, duas gravadoras foram procurá-los aqui e eles acabaram optando pela Fontana na Inglaterra e Capitol nos EUA.

Mais um trabaho e outra turnê acontece com “Four-Calendar Café”, de 1993, álbum que contém a música “Evangeline”:

Durante este período, Liz e Robin se separam e ela se envolve com outro músico, que dizem ter sido Jeff Buckley, o músico americano falecido precocemente em 1997.

O oitavo e último álbum do Cocteau acaba sendo “Milk & Kisses’ , lançado em 1996.

cocteau---milk-&-kisses

Em 1998, eles haviam estabelecido uma nova gravadora, Bella Union, tentaram gravar um novo disco, mas acabaram desistindo e optaram por dissolver o grupo.

Mas este não seria o final definitivo para o Cocteau, já que duas compilações foram lançadas, bem como investiram em suas carreiras solo:

Simon lançou um disco, “Blame someone else” em 1998, com ótimas resenhas da crítica especializada.

cocteau---foto-5

Liz fez várias participações em projetos do Massive Attack, Futre Sound of London, Craig Armstrong, Peter Gabriel, e até participando da trilha de “Lord of the Rings”. No ano passado, ela participou do festival Meltdown, sob curadoria de Antony Hegarty, do Anthony & the Johnsons.

cocteau---liz-3

Robin já lançou três álbuns, bem como turnês com sua banda Violet Indiana, além de trilhas para filmes e novas colaborações com Harold Budd.

Em 2005 houve a quase participação no festival de Coachella, deixando os fãs em polvorosa, porém eles acabaram cancelando de vez qualquer reunião do Cocteau Twins.

No mesmo ano, a 4AD completou 25 anos e relançou todos os EPs e álbuns da banda totalmente remasterizados.

   Comentário RSS Pinterest