Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Today’s Sound: Man Ray por Arthur Mendes Rocha – Japa Girl












































































    Unforgetable veggie lunch exxxperience!
Thank you so much @saporebrasil @pietroleemann @lideresempreendedores 
Risoto com aspargos verdes e abóbora, contraste de mousse de couve-flor defumada e arroz silvestre crocante.Happy Sunday!
Plantio de mais de 320 árvores nativas da nossa Mata Atlântica para #florestadebolso de Ricardo Cardim. @fabricadearvores 😉RIP #leeradizwill and #rudolfnureyev 🖤🖤Wake up, Mthrfckrs! 
#10yearchallengeHappy Halloween from Vampirina 🖤“The Proposal” ( between 1880 - 1889) by Knut Ekwall (Swedish - 1843 - 1912)Full purple bloom galore!
#flordesaomiguel #violeteira #ravenala #kaizukaPapa Pirate & Mama Mermaid
#agathalunaJust opened! #cattleyaThe Death of Cleópatra 
Jean Andre Rixens - 1874

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Today’s Sound: Man Ray por Arthur Mendes Rocha

Hoje nosso enfocado é Man Ray: arquiteto, fotógrafo, pintor, anarquista, ele é umas das figuras mais emblemáticas dos movimentos surrealista e dadaísta , um verdadeiro revolucionário na arte da fotografia.

Man Ray (originalmente nascido com o nome Emmanuel Radnitzky) era americano, mas um apaixonado por Paris, onde viveu metade de sua existência.

Sua preferência pelo abstrato se deve principalmente ao tomar contato com o New York Armory Show de N.Y.  em 1913, onde morava na época e onde fundou (junto com Duchamp) o movimento dadaísta.

Foi em Paris que ele teve contato com os artistas mais vanguardistas da época e resolveu se aventurar mais á fundo no movimento dadaísta e um pouco depois no surrealista.

O mote de seu trabalho é liberdade e prazer, Ray gostava de experimentar, de não ter limites em suas criações.

Sua grande paixão era a pintura, mas onde ele teve sucesso e reconhecimento foi com a fotografia.

Uma grande influência em sua carreira foi sua amizade com Marcel Duchamp, que durou até o final de suas vidas.

Duchamp lhe apresentou seus ready-mades, ou seja, objetos normais que transformava em arte e os quais ele começou a fotografar.

Ray costumava dizer que pintava o que não podia fotografar e fotografava coisas que já existia e as quais não queria pintar.

Suas inovações e técnicas foram bastante influentes no movimento surrealista a partir de 1921.

Uma de suas primeiras experiências com o cinema foi como cinegrafista de um filme marcante no cinema experimental: o filme dadaísta “Ballet Mecanique”.

Mesmo visto hoje, vemos que o filme estava muito à frente de sua época, ele ainda consegue ser moderno com imagens que remetem a geometria, pós cubismo, concretismo, sendo considerado o primeiro filme sem um roteiro propriamente dito.

Além de esculturas (feitas por Picasso) que se movem e até uma mulher (Kiki) que pisca e em sua pálpebra existe outro olho pintado (ou seja, quando ela pisca, parece que seu olho nunca fecha).

Outra cena marcante é a dos colarinhos que se mexem e um homem que vai rasgando estes colarinhos. Bem como a cena que mistura os movimentos do charleston com a de um homem tocando banjo:

Imagens que se repetem, formas, movimentos à maneira surrealista e a qual tentamos decifrar, assim é o trabalho de Ray neste filme.

Numa de suas exibições, um espectador reclamou que o filme lhe dava tontura e dor de cabeça e acabou se criando um tumulto, onde apareceu a polícia e colocou as pessoas para fora da sala.

Temos que notar que estes efeitos todos eram super modernos na década de 20, ninguém nunca havia feito e Ray inovou ao fazê-lo.

Man Ray nunca teve limites em seu trabalho, ele nunca parava de experimentar, de descobrir novas maneiras de mostrar suas imagens, seja fotografando seus amigos, celebridades e até mesmo moda (ele fotografava as criações de Poiret e Schiaparelli, por exemplo).

Ele publicou várias de suas fotos na Vogue e na Vanity Fair e costumava declarar: “A oposição entre o preto e o branco é fundamentalmente linda”.

Ray foi um dos grandes mestres da fotografia, seu trabalho está presente nas coleções dos melhores museus do mundo e continua sendo admirado por todas as gerações.

Ambos os filme faziam parte de um novo movimento vanguarda do cinema francês chamado “Cinéma Pur”, que tinha como objetivo a volta de um cinema puro, focado em movimento, composição visual e ritmo.

O filme mostra diversas imagens em p&b ao som da trilha de George Antheil, considerada uma obra-prima.

“Ballet Mecanique” foi na verdade concebido pelo artista Fernand Léger em colaboração com Dudley Murphy.

O visual é como um verdadeiro balé mecânico, com muitas imagens abstratas em movimento, efeitos de exposição de película, olhos maquiados que abrem e fecham, bocas pintadas em triângulo, pernas, unindo uma enorme sucessão de imagens em sincronia com a música.

O filme nos mostra as afinidades entre o movimento e a dinâmica das formas, centrando sua ação nos objetos do cotidiano e inovando na linguagem cinematográfica.

Em 1926, Man Ray filma “Emak-Bakia” (me deixe em paz em basco) no qual utiliza diversas técnicas como a solarização (técnica inventada por ele quando acendia as luzes do laboratório acidentalmente causando uma acentuação do branco), a dupla exposição, o stop-motion e as rayographs (suas criações baseadas em diferentes tipos de sombras e contrastes).

O filme tem o sub-título de “cinépoéme”, já que o filme não tem uma estória, é uma colagem de várias imagens em movimento, desde máquinas, estruturas, partes mecânicas, questionando suas utilidades.

Emak foi filmado durante as férias de Ray em Biarritz e na costa Basca, com imagens do mar que ficam de cabeça para baixo, além de imagens distorcidas.

O curta tem a duração de dezenove minutos e conta com a participação de Kiki de Montparnasse, modelo em suas fotos e também sua amante, que dirige um carro e Jacques Rigaut, que aparece vestido de mulher.

   Comentário RSS Pinterest   


1 Comment
  1. This post is so help to me! Thanks for share.