Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Today’s Sound: The Night of the Hunter por Arthur Mendes Rocha – Japa Girl












































































    RIP #leeradizwill and #rudolfnureyev 🖤🖤Wake up, Mthrfckrs! 
#10yearchallengeHappy Halloween from Vampirina 🖤“The Proposal” ( between 1880 - 1889) by Knut Ekwall (Swedish - 1843 - 1912)Full purple bloom galore!
#flordesaomiguel #violeteira #ravenala #kaizukaPapa Pirate & Mama Mermaid
#agathalunaJust opened! #cattleyaThe Death of Cleópatra 
Jean Andre Rixens - 1874How sundays should be ✨❤️✨About the happiest Easter ever!
Special thanx @marciosleme @milplantas

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Today’s Sound: The Night of the Hunter por Arthur Mendes Rocha

Charles Laughton foi um dos grandes atores da época de ouro de Hollywood e sua única incursão como diretor é uma pequena jóia, um filme surreal, assustador, dark: “The Night of the Hunter” (O Mensageiro do Diabo).

O filme foi lançado em 1955, feito sem pretensões, estrelando atores como Robert Mitchum e Shelley Winters, bem como a veterana Lilian Gish (atriz famosa no cinema mudo).

‘Night of the Hunter” não teve sucesso na época, foi um filme que não teve reconhecimento merecido e hoje é considerado um dos grandes clássicos do cinema americano.

É compreensível entender seu fracasso: a América vivia os anos Eisenhower e o filme é sobre um serial killer que matava suas esposas, que pregava a religião e que de repente era um monstro.

Em muitas listas de melhores filmes, ele é tido como a melhor estréia de um diretor novato, sendo que Laughton, quando o filme foi mal recebido, prometeu nunca mais voltar a dirigir um filme.

A estória gira em torno de um psicopata, Harry Powell (Mitchum), que em sua estada numa prisão, acaba sabendo, por um colega de cela, que uma fortuna de um roubo está escondida em uma boneca, pertencente à filha do mesmo.

Ao sair da prisão, Harry mata seu colega de cela e se faz passar por um reverendo e se aproxima da viúva (Winters) e de seus dois filhos. Só que o menino desconfia das reais intenções do reverendo e passam praticamente fugindo dele o filme todo.

O filme é baseado no romance do mesmo nome de autoria de Davis Grubb e na verdadeira história de Harry Powers, enforcado em 1932 pelo assassinato de uma viúva e seus dois filhos.

Quando Laughton adquiriu os direitos sobre o livro, ele encontrou-se e trocou várias correspondências com Grubb. Este acabou lhe enviando vários desenhos de como imaginava as cenas e que acabaram por servir como uma espécie de storyboard para o diretor.

“Night of the Hunter” diferencia-se dos filmes da década de 50, já que é obscuro, lírico e expressionista, servindo de grande influência no trabalho de diretores como David Lynch, Jim Jarmusch, os irmãos Coen, Terrence Malick, entre outros.

Uma das cenas mais geniais do filme é o da cena da fuga no barco, filmada em glorioso p&b, num misto de onírico com macabro, de sonho e pesadelo. Sapos, teias de aranha, coelhos são filmados em deep-focus, como que assistindo as crianças passearem com o barco:

Um dos aspectos mais bacanas do filme é que ele é contado sob a visão das crianças, ele é bem assustador, pois mostra bem o isolamento destas.

Robert Mitchum dá um show de interpretação como Harry, já que se passa como bondoso, ele é carismático, charmoso, sexy com as mulheres e na verdade é um assassino frio e calculista.

Entre as imagens icônicas do filme está a de Mitchum com suas mãos, onde em uma está escrito ‘Love” e na outra “Hate”:

Charles Laughton usa toda sua experiência como ator para criar uma ambientação sinistra, já que o filme é cheio de climas, sombras, cenas noturnas, silhuetas, os contrastes do preto e branco são bem definidos e tudo é filmado com brilhantismo pelo ator/diretor.

Laughton trabalhou com diretores como Hitchcock, Kubrick, Billy Wilder, além de ter recebido o Oscar de melhor ator em 1934. Ele utiliza técnicas do cinema mudo em seus takes, já que seus planos são longos e o corte só acontecia quando o rolo de filme da câmera terminava.

Além disso, ele utiliza inspirações de diretores do cinema mudo como D.W. Griffith e também do expressionismo alemão. Inclusive utilizando no elenco uma das atrizes preferidas de Griffith, Lilian Gish, como na cena abaixo:

Ele também se cercou de uma equipe competente para lhe ajudar neste seu primeiro filme: o a fotografia de Stanley Cortez (que já havia trabalhado com o deep-focus em “The Magnificient Ambersons) e a música de Walter Schumann (que pontua as cenas maginificamente), entre outros.

O filme foi feito com um orçamento restrito, em poucas semanas, já que os direitos para a compra do romance haviam sido bem caros.


Perversão e  hipocrisia, estes assuntos não eram comuns na época e são os temas principais deste pequeno grande filme de Laughton “Night of the Hunter’, um filme que merece o status que adquiriu de cult ao decorrer dos anos.

   Comentário RSS Pinterest