Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Permacultura: A ciência generosa do século 21 – Japa Girl












































































    Unforgetable veggie lunch exxxperience!
Thank you so much @saporebrasil @pietroleemann @lideresempreendedores 
Risoto com aspargos verdes e abóbora, contraste de mousse de couve-flor defumada e arroz silvestre crocante.Happy Sunday!
Plantio de mais de 320 árvores nativas da nossa Mata Atlântica para #florestadebolso de Ricardo Cardim. @fabricadearvores 😉RIP #leeradizwill and #rudolfnureyev 🖤🖤Wake up, Mthrfckrs! 
#10yearchallengeHappy Halloween from Vampirina 🖤“The Proposal” ( between 1880 - 1889) by Knut Ekwall (Swedish - 1843 - 1912)Full purple bloom galore!
#flordesaomiguel #violeteira #ravenala #kaizukaPapa Pirate & Mama Mermaid
#agathalunaJust opened! #cattleyaThe Death of Cleópatra 
Jean Andre Rixens - 1874

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Permacultura: A ciência generosa do século 21



Parece que o mundo começou a entender que os moldes de consumo da sociedade nos últimos 60 anos é algo insustentável.

A indústria do lucro descomedido, passou por cima de rios e florestas para construir uma sociedade estressada, doente, egoísta, verticalizada e insatisfeita.

Se todos os continentes consumissem como os Estados Unidos, precisaríamos de 5 planetas para gerar alimento, água, energia e armazenamento de resíduos para todos.



Jogar o lixo fora é uma ilusão.

Do ponto de vista planetário, não existe fora.

Na terra somos 7 bilhões de pessoas, 7 bilhões de produtores de lixo, 7 bilhões de humanos que precisam de alimento e de saúde.

Esqueça a conversa de “Salvar o planeta”, nossa imensa bola azul se vira há 15 bilhões de anos, precisamos mesmo é salvar a existência do gênero humano que habita esta casa há poucos 200 mil anos.

Ecologia e Economia são palavras irmãs.

Ekos do grego casa.

Sufixo nomus entende-se por gerir.

Já o Logus significa estudo.

Enquanto a ecologia estuda, a economia administra.

Numa altura em que a tendência geral é a de nos concentrarmos em todos os problemas, desequilíbrios e assimetrias sociais e ambientais, o grande objetivo da Permacultura é o de contribuir para a criação, organização e transmissão de soluções.

Soluções que contribuam para que os indivíduos, famílias e comunidades possam gerir, de forma resiliente, livre e abundante a realidade que habitam, visando do começo ao fim da cadeia produtiva, entendendo que todo o processo precisa ser cíclico, como ocorre na natureza.

Este foi um tema evitado ao longo de décadas, mas com visíveis sinais de escassez de recursos, a Permacultura surgiu para facilitar a integração homem-natureza e começou a difundir um conceito simples de sustentabilidade, racionalidade e consumo consciente e social.

Mas, afinal, o que é Permacultura?


Permacultura é uma ciência que imita a natureza.

É um conceito que podemos chamar de “Cultura Permanente” ou “Ciência do Óbvio” e o permacultor é uma ponte que observa atentamente, cria o design e orienta os padrões naturais de crescimento e regeneração de uma forma sistêmica de pensar e conceber princípios ecológicos que podem ser usados para projetar, criar, gerir e melhorar todos os esforços realizados por individuo, família e comunidade, seja na área urbana ou rural.

Bill Mollison, co-idealizador da Permacultura

Bill Mollison, australiano, após 12 anos de vivências práticas em seu próprio sítio, introduziu a Permacultura na década de 70, juntamente com seu aluno brilhante e co-criador David Holmgren.

Em meados dos anos 90, Bill veio ao Brasil, no estado do RS, apresentar um novo conceito de vida, e a partir de então, é crescente o número de adeptos e praticantes.

Um ideal:

Famílias moram perto uma das outras.

Num sistema colaborativo e foco no desperdício zero, o grupo tem em suas casas, cisternas para armazenagem de água.

Esta água é dividida e encaminhada para irrigação, limpeza, tanques de plantas ornamentais e bio-digestor.

O biodigestor gera gás para cozinha do residencial ou para algum automóvel.

A idéia de lixo é desconstruída e dos resíduos orgânicos as galinhas são alimentadas e os minhocários também.

Dos resíduos das minhocas e das galinhas, gera-se ovos, terra fértil e bio fertilizante para o pomar e a horta comunitária sem agrotóxicos.

Galinheiro para geração de ovos

Os resíduos recicláveis são encaminhados para alguma cooperativa e alguns armazenados para confecção de papéis, instrumentos musicais, objetos e para a bioconstrução da próxima empreitada do grupo.

A internet é potente, já que permacultores são curiosos nas práticas incríveis que brotam por todos os campos do planeta.

Numa casa de container os computadores para o home office, biblioteca comunitária e uma sala de estudos para todas as idades.

Painéis solares aquecem as casas feitas de materiais de demolição, bambu, taipa de pilão, pneus, garrafas e tijolos de barro.

Harmonia estética e arquitetura funcional.

Enquanto as crianças solidárias desta vila aprendem que o melhor é “Ser Humano” já que o “Ter Humano” se mostrou triste e ineficiente.

Paredes e degraus feitos de taipa de pilão

Este modelo já existe e a opção de residências eco-responsáveis cresce a cada ano.

Comunidades se agrupam em interesses comuns na busca de uma realidade menos poluída e mais saudável.

Menos stress e mais comunicação e sensibilidade.

Piscina natural

Hoje o Governo Federal financia projetos apoiando os princípios da Permacultura, visando desenvolver tecnologias sociais com base na ética e nos princípios e métodos de design permacultural e prosperidade sustentável.

Esta ciência é multidisciplinar e consegue unir diferentes métodos, práticas e conceitos do conhecimento secular às descobertas da ciência moderna, proporcionando o desenvolvimento integrado de propriedades urbanas (captação da água da chuva, teto verde, compostagem doméstica, jardim comestível…) e rurais (biodigestores, agroflorestas, agricultura biodinâmica, energias renováveis…)

Exemplo de agrofloresta

Se você detesta desperdício e pratica ou simpatiza com: reciclagem de resíduos, reaproveitamento de bens de consumo,  jardinagem, horta, troca de produtos e serviços, arquitetura funcional, educação integral, consumo consciente, alimentação orgânica, melhor distribuição de renda…você já é um iniciante da Permacultura… só falta mergulhar e multiplicar seu conhecimento.

A Permacultura é para ser vivida na íntegra, exige uma mudança de atitude, de percepção e até mesmo quebra de paradigmas.

Sair da flácida zona de conforto e estabelecer na rotina diária, hábitos e costumes de vida simples com conforto e responsabilidade ecológica, no sentido de deixarmos para as próximas gerações a mesma opção que temos hoje: Preservar a natureza, a vida.

Não queremos nossos descendentes vivendo num mundo com acúmulo de lixo e escassez de água.

Queremos?

A responsabilidade (responder com habilidade) está em nossas mãos.

É um caminho de transformação potente, leva o tempo necessário, cada pessoa tem seu ritmo de despertar e organizar a vida de forma que ela seja abundante para todos à sua volta, no seu bairro, na sua cidade e no nosso planeta, sem prejuízo para o meio ambiente.

Na opinião da rede de Permacultura Social Brasileira, uma síntese dos pilares da permacultura é:  Cuidar das pessoas, da  terra e repartir os excessos.

Enfim, a Permacultura resgata a relação entre as pessoas e o meio ambiente de forma a “transformá-los” em sistemas perenes, abundantes e auto-regulados.

Green school – Sala de aula da Green School em Bali, construída com Bambú, nos moldes permaculturais.

Basicamente uma revolução silenciosa, social, econômica e infinita que busca a cooperação e solidariedade, para um futuro alegre, próspero e desejável para todos.

Símbolo da Permacultura: “O formato oval do símbolo da permacultura, representa o ovo da vida; aquela quantidade de vida que não pode ser criada ou destruída, mas que é expressada e emana de todas as coisas vivas.

Dentro do ovo está enrolada formando o símbolo do infinito, a serpente do arco-íris, a formadora da terra dos povos aborígines. (A serpente é mito comum em culturas tradicionais e também símbolo da medicina).

No centro está a árvore da vida, a qual expressa os padrões gerais das formas de vida.

Suas raízes estão na terra e sua copa na chuva, na luz do sol e no vento. O símbolo inteiro e o ciclo que representa, é dedicado à complexidade da vida no planeta Terra. (Extraído de “Introdução a Permacultura” de Bill Mollison)

Por Ana Alcantara e Ricardo Semealuz PSB( Permacultura Social Brasileira)

Saber mais :

http://permaculturabr.ning.com/

http://www.florestadosunicornios.com.br/eco/

http://www.moradadafloresta.org.br/

   Comentário RSS Pinterest   


6 Comments
  1. A Observação atenta da natureza e das pessoas que estão ao nosso redor, acaba por nos cobrar que fazemos parte desta história, que já esta acontecendo e esperando por atitudes mesmo pequenas e aparentemente sem direção, mas que somam, invertem e contradizem a teoria de que o homem não pode viver sem destruir a natureza. É mais do que isso, fazemos parte desta casa.

  2. muito boa a reportagem. captou o espirito. gratidao e parabéns.

  3. All things are difficult before they are easy.

  4. Adorei!
    Bem que eu gostava de viver assim, está complicado mas vou tentando…..

    1. Começamos dando pequenos passos Eugenia, até se transformarem em hábito.

      Obrigada ; )

  5. This video post is really wonderful, the noise quality and the picture quality of this tape post is really amazing.