Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Rio Morto Vivo – Japa Girl












































































    Wake up, Mthrfckrs! 
#10yearchallengeHappy Halloween from Vampirina 🖤“The Proposal” ( between 1880 - 1889) by Knut Ekwall (Swedish - 1843 - 1912)Full purple bloom galore!
#flordesaomiguel #violeteira #ravenala #kaizukaPapa Pirate & Mama Mermaid
#agathalunaJust opened! #cattleyaThe Death of Cleópatra 
Jean Andre Rixens - 1874How sundays should be ✨❤️✨About the happiest Easter ever!
Special thanx @marciosleme @milplantas🖤

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Rio Morto Vivo

Este post foi concebido quando Japa Girl foi andar de bicicleta pela ciclovia do Rio Pinheiros e constatou que há vida neste leito semi morto.

As capivaras impressionam pelo tamanho e docilidade, onde apesar de um ambiente mega hostil, sobrevivem.

Como conseguem ?

Águas negras exalam odores fétidos. Nenhum peixe, milhões de mosquitos transmissores.

Com o que se alimentam ?

Conforme Malu Ribeiro, coordenadora da rede das águas da ONG SOS Mata Atlântica, as bichinhas só sobrevivem, pois se alimentam de gramíneas.

As gramíneas retêm o orvalho que as capivaras absorvem e a água que precisam vem desta alimentação.

Ao nadar as narinas e olhos se fecham e em seu pelo oleoso não gruda sujeira.

Fortes e robustas começaram a aparecer em 1999, com a implantação do projeto Pomar Urbano.

Em mais de uma década plantou- se 700 mil mudas, de 250 espécies nativas, em 26 quilômetros de margens do rio.

Imagem do Rio Pinheiros antes do projeto Pomar Urbano, 1999

Imagem do Rio Pinheiros 12 anos após a implantação do projeto Pomar Urbano

As espécies plantadas em sua maioria são: Palmeira Jerivá, espécie nativa da região, goiabeiras, pitangueiras, amoreiras, uvaias, cerejeiras, manacás, patas-de-vaca, quaresmeiras, jasmins, urucuns, paineiras, ipês, orelhas-de-onça e sálvias emprestam seu colorido às margens do rio Pinheiros.

Algumas das espécies nativas plantadas no Rio Pinheiros

Vida gera vida

Com a revitalização das margens do rio, os animais começaram a voltar.

Além das resistentes capivaras, maritacas, preás, carcarás, lagartos, sapos, rãs, cobras, teiús e calangos.

Ao todo, foram identificadas ainda 35 espécies de pássaros atraídos pela revitalização.

Além das capivaras, outras espécies encontradas no rio Pinheiros

Como os predadores das capivaras são as onças e os jacarés, que precisam de água limpa para sobreviver, elas se procriam em abundância.

Gavião Carrapateiro procura parasitas na capivara

O Rio Tiête tem 3 parques ecológicos onde estes animais aparecem com tranqüilidade, eles foram migrando para o Pinheiros, que é visivelmente, mais poluído que o Rio Tiête. A partir de Mogi e passando por Guarulhos ele começa a ficar poluído, passa esverdeando escuro pela cidade e inicia nova respiração na cidade de Salto.

Parque Ecológico Rio Tiête

Os ambientalistas brincam lamentando, que o Tiête está saindo da UTI, enquanto o Pinheiros está na Unidade Terapia Intensiva sem previsão de alta.

Podemos observar isto através da coloração e do mau cheiro.

O Pinheiros, onde abriga dos metros quadrados mais caros de São Paulo fede doença.

Margem do Rio Tiête após reforma e projeto paisagístico

Margem do rio Pinheiros

Já que a SABESP divulga que faz tratamento de esgoto antes de enviá-lo ao rio, por que os odores? Por que a espuma?

Espuma no leito do Rio Tiête

A espuma é gerada pelo lançamento de sabões, detergentes e outras substâncias desse tipo na Região Metropolitana de São Paulo.

A SABESP não cuida de todos os municípios.

Guarulhos, por exemplo, lança por muitos anos seu esgoto comercial, residencial e industrial no Rio Pinheiros.

Hoje a ACE, que cuida dos esgotos deste município e trata 15% de suas águas, está construindo mais cinco estações.

Estação de tratamento de esgoto da Sabesp. Apenas 15% dos esgotos de S.P. são tratados!

Outro problema são os lançamentos clandestinos, tanto comercial, residencial e industrial, que como ratos, roem o sistema colocando os resíduos nas galerias pluviais.

Também o lixo jogado nas ruas que caem em bueiros formando a poluição difusa que é levada para os rios com o fluxo da chuva através destas galerias.

A contribuição de cada cidadão é fundamental para despoluição das águas.

Uma medida importante é fazer a ligação adequada à rede coletora.

Outra ação é não jogar lixo no vaso sanitário.

Isso pode entupir a rede, fazendo com que os rejeitos extravasem nas ruas ou voltem para dentro dos imóveis.

O mesmo deve ser feito com o óleo de fritura, que endurece dentro dos canos e provoca uma espécie de “infarto” na tubulação.

O óleo deve ser entregue em pontos de coleta para que seja reciclado.

Há uma lista de locais na página

http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=82#ctl00_ContentPlaceHolder1_boxAbas1_rptAbas_ctl02_pnlAba, na aba “Onde entregar”.

Rio Pinheiros, 1929

Rio Pinheiros, pré-retificação, 1930

Rio Pinheiros, 1960

Na Grande São Paulo, a Sabesp possui um conjunto de estações de grande porte, chamado sistema integrado, e outras unidades menores, batizadas de sistemas isolados.

No sistema integrado metropolitano, são cinco estações: ABC, Barueri, Parque Novo Mundo, São Miguel e Suzano.

Além disso, há outros 24 sistemas isolados na Região Metropolitana de SP.

Rio Tietê, Clube de Regata, 1905

Inauguração ponte das Bandeiras, rio Tietê, 1942

Nadador no Rio Tietê

Chamamos de águas negras, aquela que saí do vaso sanitário.

As águas cinzas são provenientes da cozinha e das pias e servem muito bem para limpeza pesada e irrigação.

Se juntar as águas negras de 4 famílias com 4 pessoas, num sistema de tratamento chamado Biodigestor, consegue-se o gás metano que pode abastecer de gás uma residência ou um veículo.

Rio Tietê visto da Ponte Grande, 1914

Este tratamento simples, inteligente e necessário já é uma realidade em várias comunidades de Permacultura pelo mundo afora.

Uma maneira renovável e ecológica, já que o gás natural é uma fonte finita.

Em Franca, interior paulista a SABESP em parceria com o Instituto Fraunhofer, da Alemanha iniciaram a captura  do metano em biodigestores.

“Assim, esse gás vai poder ser usado como combustível.

Inicialmente, 49 carros da frota da Sabesp na região serão abastecidos com um produto limpo, que não emite gases do efeito estufa, nem mau cheiro.

Eles vão consumir 30% da produção de biometano em Franca, o que permite a expansão para mais veículos.” Afirma Roberto Pellin da Assessoria de comunicação da SABESP.

Dejectos de animais ajudam a poupar na factura de energia

Uma luz no fim do esgoto que gera energia e economiza recursos naturais.

No dia 22 de setembro é celebrado o dia do Rio Tiête, a ONG Mata Atlântica prepara manifestações divertidas entre capivaras e calangos.

Vá de bicicleta, mas com uma máscara de proteção.

A Japa Girl foi pedalar sem ela e pegou uma intoxicação.

WebRep
currentVote
noRating
noWeight
   Comentário RSS Pinterest