Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Nancy Sinatra – Japa Girl












































































    Encontrei essa cachorra, com mais de 10 anos, castrada, com uma cirurgia ainda cicatrizando na região torácica, cheia de moscas e pulgas, na pracinha em frente ao colégio Santa Cruz, região de Pinheiros. Muito fraca, está pele e osso. Internei no @citvet por 24 hrs, está inteira, sem anemia, sem infecção, fígado e rins bons! Acredito que fugiu! Por favor me ajudem compartilhando, deve ter um dono procurando por ela. Por hora, colocamos o nome de Angelita. #cachorraperdida #procurasecachorroHoje!!!
#climatestrikeLunatic Magic Beware...🦇 Theophile-Alexandre Steinlen “Chat au Clair de Lune”, c 1900Greve Global pelo clima - São Paulo, 20.9.2019! É de suma importância que todos participem dessa greve global. Acontece que a Amazônia, o Pantanal e o Cerrado, continuam queimando, numa destruição avassaladora, apesar da pressão feita até agora. Além disso, incêndios se espalham por diversos cantos do mundo, como Sibéria, Indonésia e o continente africano. Não podemos relaxar, enquanto mudanças significativas sejam aplicadas de fato.Emocionante! Nunca vi passeata igual, com tanta gente. Acordamos. Graças à Deus e Deusa. Não podemos mais permitir que isso aconteça as Florestas e aos Animais. Fora demônio #forasalles #sosamazoniaPor favor assistam!Gigante pela própria natureza e pela própria ignorância 🇧🇷Precisamos ir para a rua protestar urgente!!! Profundamente abalada com a destruição de lugares sagrados, lugares que sustentam a Vida neste planeta! Todos vão sofrer as consequências desse desmatamento e queimadas! Árvores de 500 anos já eram! Estão encontrando animais queimados, jamais estudados ou conhecidos pelo homem! Estamos sentenciando nossa existência. #prayfortheamazonÉ com profundo pesar, estão cortando uma pequena floresta de no mínimo 70 anos, que cresceu numa casa desocupada. Ainda que haja autorização da PMSP e compensação em outro local, como fica o entorno? Quem irá compensar os morcegos e periquitos que moram nessas árvores?Unforgetable veggie lunch exxxperience!
Thank you so much @saporebrasil @pietroleemann @lideresempreendedores 
Risoto com aspargos verdes e abóbora, contraste de mousse de couve-flor defumada e arroz silvestre crocante.

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Posts Tagged ‘Nancy Sinatra’

TODAY’S SOUND: SONNY & CHER POR ARTHUR MENDES ROCHA

Nos próximos posts falaremos de duplas famosas do pop, rock, etetrônica e outros.

Hoje começamos por uma das mais famosas de todos os tempos e que bombaram principalmente nos anos 60 e 70; eles são Sonny & Cher.

sonny_cher_ll_131104_33x16_1600

A dupla se conheceu quando Cher era uma garota de dezesseis anos, ainda cursando o ginásio e sem saber direito o que queria da vida, mas uma coisa ela sabia: ela queria ser famosa.

Seus nomes verdadeiros eram Cherilyn Sarkisian e Salvatore Bono e ela via nele um mentor, uma figura paterna (o pai dela abandonara a família), já que a diferença de idade deles era grande, pois Sonny já tinha 27 anos quando se conheceram.

sonny-cher4

Sonny trabalhava no estúdio Gold Star, em Hollywood, cujo proprietário era Phil Spector, o icônico produtor de inúmeros artistas, incluindo Beatles, Ramones, Ike & Tina Turner e mais.

Sonny aprendeu muito no estúdio de Spector, já que era uma espécie de faz-tudo de lá e assim sabia compor, fazer arranjos e produzir suas próprias canções.

sonny-cher3

Cher, ainda uma desconhecida, acompanhava Sonny ao estúdio diversas vezes, até que em certa ocasião, Darlene Love (uma das vozes mais famosas da época) não compareceu em uma sessão e Sonny disse a Spector que Cher sabia cantar e ela substituiu Love como backing vocal.

Os vocais de Cher agradaram a Spector e ela acaba participando dos vocais de hits como “Be my baby” (das Ronettes), “You’ve lost that loving feeling” (dos Righteous Brothers), entre outros.

Recording Session

Mas os dois queriam mais que isso; almejavam ser uma dupla de sucesso e não ficar ‘escondidos” atrás de outros artistas. Assim, eles resolvem formar uma dupla, sendo que o primeiro nome que pensaram foi Caesar and Cleo, tendo lançado singles como “Love is Strange”:

Nesta época, depois de melhores amigos e amantes, eles se tornam marido e mulher.

Porém, a dupla não consegue emplacar nenhum hit, até que finalmente mudam o nome para Sonny & Cher, lançando em 1964 o single “Baby don’t go” pela Reprise Records:

A música foi gravada no peito e na raça pelos dois, já que possuíam poucos recursos para pagar estúdio, tiveram que pedir dinheiro emprestado, conseguiram músicos que tocaram de graça (como Leon Russell e Barney Kessel), enfim, batalharam para ver a música gravada.

Logo que a canção foi lançada, ela não foi um sucesso imediato, apenas em Los Angeles e na costa oeste americana; foi graças ao estouro do hit seguinte, que ela foi relançada e aí sim foi para o topo das paradas.

sonny-cher5

Seu próximo lançamento acaba sendo a canção que os colocou no mapa do pop e que virou um hit mundial, “I got you babe”.Um detalhe interessante foi que a música estourou primeiro na Inglaterra, para onde o casal se dirigiu em 1965, e lá foram logo notados, se apresentando no Top of the Pops:

Na volta aos EUA, eles já estavam sendo esperados por uma multidão de fãs no aeroporto.

Seu primeiro álbum foi lançado no mesmo ano e intitulado ‘Look at us”, alcançando o segundo lugar na parada de álbuns mais vendidos da Billboard, com a marca de mais de oito milhões de discos vendidos no mundo.

Outro destaque do álbum era “Then he kissed me”:

Além de participar dos programas de TV mais badalados da época, eles até apareceram no filme “Wild on the beach”, onde eles interpretam ‘It’s gonna rain’:

No ano de 1965, eles chegaram a ter cinco músicas no top 20, recorde este quebrado apenas por Elvis Presley.

A dupla já chamava a atenção pelo seu visual arrojado, sempre altamente produzidos, vestindo roupas coloridas, coletes de pelo, ternos no estilo mod; Cher arrasando com seus cabelos compridos negros, magra e alta, com maquiagem com muito delineador nos olhos. 

sonny-cher-mosaique

Seu álbum seguinte foi lançado em 1966, ‘The Wondrous world of Sonny & Cher’, cujo primeiro single foi “But you’re mine”:

Outra música que fez sucesso do disco foi ‘What now my love”, aqui num vídeo para o programa Beat Club:

Os dois saem em turnê mundial com o disco e lotam teatros e arenas por onde passam, levando às multidões a loucura.

Esta canção era uma versão de uma música francesa de Gilbert Bécaud e a durante sua carreira, a dupla gravou várias versões de sucessos como “Summertime’ (dos irmãos Gershwin), “Unchained Melody” (hit pelos Righteous Brothers), “You’ve really got a hold on me” (de Smokey Robinson), entre outros.

sonny-cher2

Além disso, Cher também gravava discos solo, tendo sucessos como ‘Alfie” (de Burt Bacharach) e principalmente‘Bang Bang (My baby shot me down), que ficou famosa na voz de Nancy Sinatra (e voltou a ser hit ao ser incluída na trilha de ‘Kill Bill vol. 1” por Tarantino em 2003). Mas a versão original da música é de Cher, escrita e produzida para ela por Sonny Bono e incluída no álbum ‘The Sonny side of Cher’ (o primeiro disco solo dela), de 1966:

Em 1967, a dupla lança um novo álbum, ‘In case you’re in love”, que origina mais dois hits:, ambos compostos por Sonny:

“The Beat goes on”, que alcança o sexto lugar da Billboard:

E “Little man”, que alcança sucesso principalmente na Europa, onde se apresentam na TV francesa:

No ano seguinte, Sony & Cher estrelam um ambicioso projeto: o filme ‘Good Times”, sob a direção de William Friedkin (que esteve recentemente na Mostra de SP e dirigiu “O Exorcista” e ‘Cruising”, entre outros) e co-estrelando George Sanders (premiado por ‘A Malvada”).

Porém o filme acaba sendo um grande fracasso de público e crítica e a dupla demora a se refazer deste baque em sua carreira.

Foto promocional de Sonny & Cher para o filme "Good Times".

Foto promocional de Sonny & Cher para o filme “Good Times”.

Além disso, a dupla se posicionava contra as drogas, o que levou a juventude da época a os considerarem caretas e ultrapassados, bem como sua música, já que o que estava na moda era o rock psicodélico. Assim, sua música vai perdendo força e os jovens acham que esta agradava mais a seus pais do que a eles próprios.

Em 1969, Cher faz uma nova tentativa cinematográfica para reconsquistar o público jovem com o filme ‘Chastity”, porém o filme acaba sendo mais um fracasso. A película foi escrita e produzida por Sonny, mas eles não conseguem se reconectar com os jovens.

sonny-cher9

O título do filme acaba sendo o nome da filha deles, nascida naquele ano e que hoje em dia é transexual e atende pelo nome de Chaz Bono.

A carreira dos dois estava no fundo do poço, assim eles partem para fazer pequenos shows em diversas cidades como Las Vegas, onde misturavam números humorísticos e musicais e aos poucos vão conquistando uma nova audiência, mais velha e adulta.

sonny-cher8

Para a sorte deles, os caçadores de talentos da TV gostam de suas apresentações e os convidam para estrelar o seu próprio programa.

sonny-cher-chastity

Sonny & Cher com sua filha Chastity (hoje Chaz).

Assim, em 1970, Sonny & Cher estrelam o especial “The Nitty Gritty Hour”, que acaba sendo um sucesso de público e crítica e uma mistura certa de humor e música. Abaixo, a abertura do programa onde eles cantam “You’ve only just begun” (sucesso na voz dos Carpenters):

Em 1971, eles são convidados para estrelarem o programa semanal ‘The Sonny & Cher Comedy Hour”, pela rede CBS. Abaixo eles abrem o programa cantando ‘Proud Mary’:

O programa dura quatro temporadas, além de receber diversos convidados que incluem Muhammad Ali (o célebre lutador de boxe que faleceu este ano), Chuck Berry, Paul Anka, Truman Capote, Hugh Hefner, Tony Curtis e muitos outros.

sonny-cher

Além disso, o programa revigorou a carreira dos dois e eles lançaram mais um disco juntos, “All I ever need is you”, cuja canção título, no estilo country, alcançou o top 10:

Um detalhe interessante é que foi nestes programas de TV que Cher passou a ser vestida pelo estilista Bob Mackie, famoso por seus vestidos glamourosos e cheios de brilho, perfeito para o show-business americano. Mackie caprichava e em cada apresentação Cher está sempre impecável e cheia de estilo, explorando bem seu tipo exótico e de traços indígenas.

cher-in-bob-macie-2

Cher com seu look apache por Bob Mackie.

Ela acaba vencendo o Globo de Ouro pelo programa em 1974.

No mesmo ano, os dois lançam mais um álbum, “Mama was a rock and roll singer, Papa used to write all her songs”, com apenas a canção título composta por Sonny e o restante com versões cover de sucessos como “It never rains in southern California”:

Porém uma bomba acontece na terceira temporada do programa: Cher e Sonny se divorciam, para a surpresa geral da nação, que vivia um período complicado em 1975, ano do escândalo de Watergate que causou o afastamento do presidente Nixon do poder.

sonny-cher-1960s-sequin-gown

Assim, o programa termina e os dois acabam tendo cada um o seu próprio show: ele com o “The Sonny Comedy Revue” e ela com o ‘The Cher Show”. O dele acaba sendo cancelado depois de seis semanas e o dela é um hit.

Os dois voltam a se reunir em 1976, para a volta de “The Sonny and Cher Show’, mas o programa não obtém o mesmo sucesso do anterior, e termina em 1977.

sonny-cher-70s

Com isso, a dupla parte cada um para seu lado e para novos projetos: ele se volta para a política e ela para uma carreira musical de sucesso, lançando inúmeros discos, ganhando Grammys e fazendo shows mundo a fora.

Além disso, Cher se torna uma excelente atriz de cinema, vencendo o Oscar (por ‘Moonstruck’) e até a Palma de Ouro em Cannes (pelo filme ‘Mask”).

Sonny & Cher At The Oscars

Sonny vem a falecer em 1998, vítima de um acidente de ski e Cher lhe presta uma linda homenagem em seu velório e fica bastante abalada pela morte dele.

The Sonny & Cher Comedy Hour

No mesmo ano, a dupla recebe a sua estrela na calçada da fama em Hollywood, evento no qual Cher vai acompanhada da esposa de Sonny, Mary Bono.

 

   Comentário RSS Pinterest   
 

TODAY’S SOUND: NICK CAVE POR ARTHUR MENDES ROCHA

Nick Cave é um dos músicos mais multimídia em atividade hoje em dia; além de cantor, ele também compõe, escreve romances, redige roteiros, atua, além de tocar instrumentos como o piano.

nickcave---foto-1
Nick é australiano de nascença, cantando em corais da igreja, até perder seu pai aos 19 anos.

nick-cave---foto-2
Ele estudou pintura antes de se dedicar à música, participando da banda “The Boys next door”, formada com seus amigos Mick Harvey e Phil Calvert (que mais tarde formariam com ele o Birthday Party). Abaixo o cover que eles fizeram para “These boots are made for walking” (de Nancy Sinatra) em 1978:

Ele até chegou a morar no Brasil em uma determinada época, lembro de encontrá-lo em São Paulo em algumas ocasiões.

nick-cave-foto-3
A música de Nick Cave é cheia de referências literárias, é um misto de rock pós punk, blues, gospel, envoltas num clima dark com influências que vão de Scott Walker a Leonard Cohen, dos quais é fã confesso.

nick-cave---foto-4
O primeiro grupo musical que participou foi o Birthday Party, banda formada no início dos anos 80 e que terminou em 1983, influenciada pelo movimento punk.

nick-cave-&-birthday-party
Eles chegaram a ter uma fama cult com músicas como “She’s hit”, gravada numa apresentação no famoso club Hacienda:

E também o vídeo para “Nick, the Stripper”, do álbum “Prayers on fire” de 1981:

Logo após, ele formou o Nick Cave & the Bad Seeds, composto por seu amigo Mick Harvey, além de Barry Adamson (do Magazine) e Blixa Bargeld (do Einsterzunde Neubaten).

nick-cave-&-the-bad-seeds
O primeiro álbum com os Bad Seeds foi “From her to eternity”, lançado em 1984, e super bem recebido por público e crítica. Um dos destaques do álbum é o cover de Elvis Presley, “In the ghetto’:

nick_cave_and_the_bad_seeds
Em seguida, eles lançam um álbum só de covers, “Kicking against the pricks”, no qual a canção ‘The Singer” solidifica sua posição como cantor, ficando em primeiro lugar na parada independente inglesa:

O próximo álbum é “Your funeral…my Trial” puxado pela canção título, na qual, além de cantar, Nick também toca o órgão Hammond:

Depois deste álbum Nick faz uma pausa de dois anos, no qual se dedica a outros projetos além da música, como sua participação com duas músicas na trilha do filme “Wings of Desire” (Asas do Desejo) de Win Wenders, além de uma cena dele com os Bad Seeds.

nick-cave-in-wings-of-desir
Neste período, a carreira de Nick vem enfrentando problemas devido à dependência em heroína, hábito adquirido na década de 70, mas no final da década de 80 ele consegue deixar a droga e sua carreira volta a engrenar.

nick-cave---foto-5
Ele lança dois livros, além de atuar no filme “Ghosts…of the Civil dead”, para o qual também compõe uma música, além de lançar o álbum “Good Son” em 1990, somente de baladas e mais relax que os trabalhos anteriores. Um dos destaques deste álbum é “The Weeping Song”, dueto dele com Bargeld:

Seu próximo trabalho é um de seus melhores trabalhos, o álbum “The Boatman’s call”, lançado em 1997, um trabalho franco, direto, com influências jazzísticas, introspectivo, como mostra a canção que abre o disco, a linda “Into my arms”:

Durante os anos 90, ele participa do Lolapalooza, grava mais discos, entre eles ‘Murder Ballads”, seu álbum de maior sucesso comercial e que contém um dueto com Kylie Minogue, “Where the wild roses grown”:

No início da década de 00, ele volta a gravar com os Bad Seeds no álbum “No more shall we part”, quase todo instrumental.

nick_cave_&-bad-seeds-2
Ele grava mais discos, antes de formar um novo projeto, Grinderman, com alguns de seus colegas do Bad Seeds como Warren Ellis, Martyn Cassey e Jim Sclavunos.

nick-cave---foto-6
Com Ellis, ele vai compor várias trilhas de filmes como “The assassination of Jesse James”, “The Proposition” e “Lawless”, estes dois últimos também roteirizados por ele e elogiados pela crítica.

nick-cave---foto-7
Ainda com Ellis, ele continua fazendo pequenos shows pelo mundo a fora e também musicaram peças de teatro da Vesturport Theatre Company como “Woyzeck”, “The Metamorphosis” e “Faust”.

nick-cave---foto-8
Em 2011, Nick declarou em um show, o final da banda Bad Seeds, mas isto acabou não se confirmando, já que no início deste ano ele lançou “Push the sky away”, 15º álbum da banda e que ganhou uma linda edição limitada (foto abaixo), com livretos, making of do álbum, vinis e mais.

nick-cave---push-the-sky-aw
Um dos vídeos do álbum é “Jubilee Street”:

Em sua vida afetiva, depois de muitos casos amorosos, Nick casou com a linda modelo Susie Bick (uma das modelos inglesas mais conhecidas da década de 90), teve filhos e ainda escreveu mais um ótimo livro chamado “The death of Bunny Munro”, já lançado no Brasil.

nick-&-susie

nick-cave--The-Death-of-Bun
Atualmente Nick e sua banda estão em excursão pelo mundo divulgando o último trabalho e não dão sinais de parar tão cedo.

   Comentário RSS Pinterest   
 

TODAY`S SOUND KILL BILL VOL.1 POR ARTHUR MENDES ROCHA

Hoje para fechar a semana falaremos da trilha de um filme bem pop, uma homenagem aos filmes de kung-fu dos anos 70: “Kill Bill Vol. 1” de Quentin Tarantino.

Tarantino usa e abusa das referências pop na maioria de seus filmes, isto que o torna cada vez mais um diretor interessante e sempre nos surpreendendo.

Antes de “Kill Bill” ele ficou seis anos sem filmar e este vol. 1 foi lançado em 2003, ou seja, era um filme bastante esperado por seus fãs.

Esta primeira parte mostra o plano de vingança da “noiva” ou “the bride” (interpretada por Uma Thurman) depois que seu ex-grupo de assassinos quase a mata no ensaio de seu casamento (ela iria casar com o próprio Bill do título).

As homenagens aos filmes de artes marciais já começam no próprio uniforme amarelo e preto usado por Uma durante quase todo o filme, o mesmo usado por Bruce Lee no filme “Jogo da morte”.

A trilha é uma excelente seleção de músicas pop seja de filmes, TV, dos anos 60 e 70, com temas instrumentais de RZA (líder do grupo de hip-hop Wu-Tang Clan) e do compositor Charles Bernstein.

Tarantino adora recuperar ídolos esquecidos, uma das escolhas certeiras da trilha foi o resgate de “Bang Bang (My baby shot me down)” de Nancy Sinatra (a filha de Frank) que toca logo nos créditos inicias e que voltou a ser hit devido ao filme:

Claro que o diretor não poderia deixar de colocar na trilha e no filme um referencial a música pop asiática incluindo o grupo feminino The 5,6,7,8s com o rockabilly “Woo Hoo”:

Outra música bastante lembrada da trilha é “Don´t let me be misundestood” do Santa Esmeralda, um hit disco que serve de pano de fundo para uma das sequências mais emocionantes do filme: quando a noiva enfrenta sua arqui-inimiga O-Ren Ishii (Lucy Liu):

A trilha de Kill Bill Vo. 1 tem músicas que homenageiam tanto os seriados de TV antigos com a inclusão de “Green Hornet Theme” de Al Hirt e “Twisted Nerve” de Bernard Herrmann, bem como o spaghetti-western com “The Grand Duel” de Luis Bacalov e os filmes de blaxploitation (os filmes black da década de 70) com “Run Fay Run” de Isaac Hayes.

   Comentário RSS Pinterest