Warning: include_once(wp-includes/images/pin.png): failed to open stream: No such file or directory in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: include_once(): Failed opening 'wp-includes/images/pin.png' for inclusion (include_path='.:/usr/lib/php:/usr/local/lib/php') in /home/japagirl/public_html/blog/index.php on line 2

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/japagirl/public_html/blog/index.php:2) in /home/japagirl/public_html/blog/wp-content/plugins/instagrate-to-wordpress/instagrate-to-wordpress.php on line 48
Tiki – Japa Girl












































































    Wake up, Mthrfckrs! 
#10yearchallengeHappy Halloween from Vampirina ūüĖ§‚ÄúThe Proposal‚ÄĚ ( between 1880 - 1889) by Knut Ekwall (Swedish - 1843 - 1912)Full purple bloom galore!
#flordesaomiguel #violeteira #ravenala #kaizukaPapa Pirate & Mama Mermaid
#agathalunaJust opened! #cattleyaThe Death of Cleópatra 
Jean Andre Rixens - 1874How sundays should be ‚ú®‚̧ԳŹ‚ú®About the happiest Easter ever!
Special thanx @marciosleme @milplantasūüĖ§

                
       
















bloglovin



CURRENT MOON

Posts Tagged ‘Tiki’

Majorelle Cap. 2, Jacques o filho pintor e seu Jardim em Marrakech

Verdadeiro s√≠mbolo da cidade de Marrakech, os Jardins de Majorelle encantam at√© um ‚Äúleigo‚ÄĚ em bot√Ęnica e desinteressados em paisagismo.


Nada mais, nada menos que, a maior e mais importante coleção de plantas de sua era, que além de ter sido o atêlier/residência  de Jacques Majorelle entre 1947 e 1962, foi também a residência de veraneio de Yves Saint Laurent e Pierre Bergé, a partir de 1980 restaurando todos os 12 acres do jardim até a criação da fundação que administra o museu até hoje.

Pudera, este oásis está listado entre os grandes jardins misteriosos do séc XX!

Jacques Majorelle, filho √ļnico de Louis Majorelle, grande mestre do movimento Art Nouveau, nasceu em Nancy em 1886, no meio desse rico c√≠rculo de artistas absurdamente fechado.

Assim respirou ARTE,  desde o berço.

 


Ap√≥s ter estudado artes pl√°sticas na √Čcole de Nancy e depois na Julian Academy em Paris, decidiu seguir a pintura como seu of√≠cio.

 

O certo é que durante a sua  juventude, contraiu tuberculose e precisou se mudar para o sul onde o clima era mais quente e foi assim que descobriu sua paixão pelo oriente, começando pelo Egito, depois Espanha até encontrar seu lugar preferido no mundo: Marrocos!



 










Sem d√ļvida, desenvolveu uma paix√£o particular sobre o Mediterr√Ęneo saindo fora das apresenta√ß√Ķes cl√°ssicas, encorajado pelo r√°pido tom do fauvismo, as formas simples, as origens.


 

 

 

De fato sua pintura foge completamente daquelas fantasias criadas pelo movimento Orientalista e na minha visão, o traço de Jacques Majorelle captura  uma luz Impressionista com um certo perfume Tiki, mostrando as nuances da vida diária.















Erudito, amante da est√©tica dos Souks (feiras livres t√≠picas), o pintor viajante, se sentiu atra√≠do pelas tribos Berber e pela autenticidade das regi√Ķes do Atlas.

Em 1924, Jacques resolve morar na Medina de Marrakech, encontra o terreno perfeito nas bordas de Palm Groove e d√° in√≠cio ao que seria o grande feito de sua vida, um ex√≥tico jardim bot√Ęnico que al√©m de levar o sobrenome de sua fam√≠lia, seria o seu maior legado.

Evidente que um dos grandes destaques do paisagismo de Majorelle, s√£o as palmeiras gigantescas, que mandou trazer do sul da √Āsia, do leste da √Āfrica, das Ilhas Can√°rias, da regi√£o da Mesopot√Ęnia e at√© da Calif√≥rnia.



Sem falar nos cactus, nas iucas, as vitórias-régias, o perfume dos jasmins, a encantadora floresta de Bambus que me faz mergulhar nos meus encantos pelo movimento Tiki, mais uma vez.

 

Digamos que a originalidade deste lugar, está na combinação de uma vegetação luxuosa e elementos de arquitetura alinhados com a sobriedade e estética tradicional marroquina.

E muito importante no conceito desse jardim, é a cor ícone usada: o Bleu Majorelle.

O poder desse tom de azul, d√° um contraste √ļnico a¬† impress√£o de quietude e contempla√ß√£o.



Pesquisei inclusive, a combinação exata de tons para chegarmos ao Bleu Majorelle, caso queiram pintar uma parede:

- Pantone 6050 (RGB)

- RVB (r 96, v 80, b 220)

- Triplet hexa: 6050 DC

- CMJN (c 56%, m64%, j 0%, N 14%)

- TSL (t 247*, s67%, l59%)

 


Reza a lenda que Yves Saint Laurent, que tinha um talento √ļnico para misturar cores, foi o respons√°vel pelo tom de hoje, melhorando assim ainda mais a tonalidade de Monsieur¬†Jacques Majorelle.

Mod√©stia a parte, eu tamb√©m tenho um olhar para cores e estava pensando outro dia sobre a loucura dessa cor, quando tive um insight: ‚ÄúO Bleu Majorelle √© a cor do pesco√ßo do pav√£o!‚ÄĚ

Houve um aspecto que achei fascinante e essencialmente chic enquanto pesquisava sobre¬† a funda√ß√£o dos Jardins de Majorelle, o cuidado com as 15 esp√©cies de p√°ssaros LIVRES, exclusivamente encontrados naquela regi√£o no Norte da √Āfrica.

Afinal de contas, um jardim jamais é completo sem os seus devidos passarinhos.





O trabalho de Jacques Majorelle também pode ser visto no famoso Hotel La Mamounia, que o pintor ajudou a decorar, assim como pintou posters de turismo para a cidade de Marrakesch.









Foi em 1962 que Jacques após sofrer um acidente de carro, retorna para a França e vem a falecer logo em seguida.

Nos anos 80, seu Legado paisag√≠stico sofreu grandes deteriora√ß√Ķes , at√© que o casal mais chic do mundo, Yves Saint Laurent e Pierre Berg√© descubriram¬† esse o√°sis e o recuperaram por completo.

Na terceira parte destes posts, revelo deliciosos segredos da estadia destes √ļltimos propriet√°rios do Jardim Majorelle e sobre a cria√ß√£o da funda√ß√£o e museu, n√£o percam!



   Coment√°rio RSS Pinterest   
 

TODAY’S SOUND: MOVIMENTO TIKI E M√öSICA EX√ďTICA POR ARTHUR MENDES ROCHA

O Tiki √© um movimento est√©tico e cultural norte-americano que reverencia os elementos vindos da Polin√©sia, utilizando-os em restaurantes, bares, cocktails, decora√ß√£o e a m√ļsica que acompanha isto chama-se Exotica.

Tiki na verdade é um deus da Polinésia, representado em esculturas de pedra e madeira, como na foto abaixo:
Tudo começou em 1934 quando abre nos EUA (mais precisamente em Hollywood) o restaurante Don, the Beachcomber, que utiliza a temática polinésia na decoração do ambiente como tochas, toalhas de mesas e flores coloridas, móveis de palha; tudo isto acompanhado de deliciosos cocktails a base de rum e frutas (que originaram o Mai-tai). Outro elemento importante desta cultura são as tiki-mugs (canecas), onde os drinks são servidos.

Com o final da Segunda Guerra Mundial, muitos soldados americanos tiveram contato com a cultura das ilhas do Pacífico Sul, logo estes trouxeram esta idéia de ilhas exóticas, coqueiros, praias exuberantes e toda sua sensualidade, para a cultura norte-americana.
O Tiki começa a aparecer com força total também devido ao crescimento da classe média, que acaba viajando ao Havaí (que recentemente havia tornado-se o mais novo Estado americano em 1959) e fica influenciada por este estilo de vida tropical, com luais a beira mar, dançarinas de hula-hula, drinks exóticos e quer trazer um pouco desta experiência para os seus lares.
Novos bares e restaurantes tikis s√£o abertos nos EUA, o movimento vai assumindo ares kitsch tem seu √°pice no final dos anos 50 e in√≠cio dos 60. A s√©rie de TV ‚ÄúGilligan‚Äôs Island‚ÄĚ (exibida entre 1964-67) tamb√©m era uma boa refer√™ncia, pois incorporava elementos do tiki em seus cen√°rios, j√° que a a√ß√£o transcorria-se em uma ilha.
Na m√ļsica, o Tiki foi incorporado ao jazz e misturado com ritmos da Polin√©sia, asi√°ticos e latinos, al√©m de ritmos afro-cubanos, trilhas de filmes hollywoodianos e muito instrumental formando um g√™nero conhecido como Exotica, sempre com forte influ√™ncia tropical. Dentre os artistas que mais se destacaram como propagadores destes ritmos est√£o Les Baxter, Arthur Lyman e Martin Denny, que falaremos aqui no site durante esta semana.
Na metade dos anos 90, o movimento Tiki teve um forte revival, livros (como Book of Tiki da Taschen) e compila√ß√Ķes em CDs (como Mondo Exotica) foram lan√ßados tornando o movimento tiki algo novamente cool.
Recentemente foi lan√ßado o document√°rio ‚ÄúTikimentary‚ÄĚ, dirigido por Duda Leite e que conta um pouco da hist√≥ria do tiki e seus atuais seguidores. O movimento tiki continua bem vivo em lugares como Fort Lauderdale, na Fl√≥rida (Hukilau), San Diego (Tiki Oasis), Lake George, NY (Ohana Luau at the Lake) onde ocorre anualmente encontro de ‚Äútik√©filos‚ÄĚ que se re√ļnem para ouvir m√ļsica ex√≥tica e tomar drinks tiki.
   Coment√°rio RSS Pinterest   
 

Império Tropical

tiki_beachsmall_jtly

Pal√°cio de palha

Pequena praia

De pedras perdidas

Palmeiras de puras plumas

P√°ssaros piam partituras

Poucos panos provocantes

Personificam pele de pantera

Palco paradisíaco

Pulseira de pérolas perfeitas

Peixes peregrinam

Paix√Ķes prometem

Perfumes de plantas

Permitem purificação

Peço paz e proteção

Num país de política podre

Propósitos parasitas

Promessas impossíveis

No Império tropical

   Coment√°rio RSS Pinterest